Itapevi Notícias

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Home Policial GCM começa a notificar bares contra perturbação do sossego em Itapevi

GCM começa a notificar bares contra perturbação do sossego em Itapevi

Imprimir

A Prefeitura de Itapevi realizou, entre terça-feira (18) e quinta-feira (20), a Operação Sossego Geral para combater a perturbação de sossego, orientar e notificar proprietários de estabelecimentos comerciais e bares do município a cumprirem a legislação.

Ao todo, oito bares foram notificados: dois no bairro Parque Santo Antonio, dois no Jardim Santa Rita, um no Amador Bueno, um em Ambuitá, um na Vila Gióia e um na Vila Santa Flora. As ações devem ocorrer entre as terças e quintas-feiras nos próximos 30 dias.

“Ressaltamos o caráter educativo e de orientação da operação. Entregamos aos donos dos estabelecimentos uma cópia da Lei Municipal nº 552/1984, que trata de perturbação de sossego", disse Fernando Passos, corregedor da Guarda Civil Municipal de Itapevi e responsável pela operação.

"Explicitamos que, em caso de reincidência, a Prefeitura poderá aplicar como penalidade a multa”, afirmou Passos. No município, a multa pode variar de um a dez salários mínimos. Em caso de reincidência, o valor aplicado é dobrado. Caso o problema persista, o estabelecimento é lacrado.

“Recebemos muitas denúncias de moradores reclamando do barulho dos  após horário permitido pela lei. Nesta primeira ação nosso objetivo não é multar, mas apenas notificar e entregar cópia da lei para que os proprietários saibam dos seus limites e atuem regularmente”, explicou Passos. Trabalharam na operação fiscais da Secretaria de Receita e agentes da Guarda Civil Municipal.

Só entre os dias 14 e 16 de abril, foram registradas 11 ocorrências por som alto em bares de Itapevi, segundo Kleber Maruxo, secretário de Segurança, Trânsito e Transportes.

“A meta é notificar todos os bares da região, cumprindo, assim, com o novo modelo de gestão do GGI-M (Gabinete de Gestão Integrada Municipal), que altera forma de o Estado enfrentar a violência e a criminalidade", disse Maruxo. "Segundo esse modelo, o Estado deixa de intervir apenas de forma criminalizadora e passa também a agir preventivamente, por meio de ações sociais”, afirmou.  

Última atualização em Sex, 28 de Abril de 2017 09:50  

Anunciantes

Links Recomendados?
Banner